Como organizar as finanças domésticas? Conheça 5 dicas

Sair da casa dos pais pode trazer um misto de emoções: ao mesmo tempo em que conquistamos nossa liberdade e independência, podemos sentir uma certa insegurança se iremos conseguir “nos virar”, se sentiremos falta dos pais, se iremos nos adaptar ao novo lugar…

Por isso, é preciso ter organização para tornar essa mudança mais tranquila, como colocar ordem e saber controlar o nosso dinheiro.

Confira agora como você pode se organizar para conseguir se virar com as finanças e chegar vivo e sem dívidas ao final do mês, com 5 dicas fáceis.

Tenha um lugar para anotar tudo relacionado ao dinheiro

Caderno, aplicativo, planilha… Não importa o local que você escolha, é importante ter um local seguro e de fácil acesso para você anotar quanto você ganha, quanto você gasta, quanto consegue economizar, suas metas e objetivos com o dinheiro. O famoso orçamento.

No caderno, você pode dividir a folha em linhas e colunas, organizando cada linha com as categorias de gastos (luz, água, aluguel, entre outros) e as colunas com os valores mensais.

Existem também alguns aplicativos que você pode usar para anotar e organizar o dinheiro:

  • Mobills
  • Organizze
  • Money Lover
  • Minhas economias
  • Orçamento Fácil
  • Guiabolso

Para facilitar ainda mais a sua vida, preparamos uma planilha completassa para você se organizar. Clique aqui e faça o download.

Identifique e anote todos os seus gastos

Dentro dos orçamentos a gente tem os gastos fixos e os gastos variáveis.

Os fixos são aqueles que chegam todo mês com o mesmo valor para a gente pagar, independente do consumo:

  • Aluguel
  • Condomínio
  • Internet
  • Serviços de streaming
  • Academia
  • Entre outros

Já os gastos variáveis são aqueles que variam todo mês, a depender da frequência e intensidade do consumo:

  • Água
  • Luz
  • Telefone
  • Alimentação
  • Atividades de lazer (happy hour, jogos, cinema, passeios, entre outros)
  • Gasolina

Você pode definir lembretes no celular, na agenda ou colar os boletos na geladeira para não se esquecer de pagar essas contas.

Separe uma porcentagem para cada despesa

Planejar e poupar são as bases para você conseguir se organizar.

Uma forma de não sair gastando desenfreadamente e depois faltar na hora de pagar uma conta é distribuir a renda, utilizando:

  • A regra 70/30 – no qual se utiliza 70% da renda mensal nas despesas com o custo de vida, e 30% para reservas financeiras e investimentos;
  • Ou a regra 50/30/20 – separando 50% para despesas mensais, 30% para lazer e desejos pessoas, e 20% para guardar e quitar dívidas.

Separar o dinheiro te ajuda a controlar os gastos por impulso e a restringir o que gasta no dia a dia. Assim você evita passar apertos logo no meio do mês.

Gaste menos do que ganha

Essa pode parecer fácil e óbvio, mas muitas pessoas pecam aqui.

Seguir anotando e acompanhando os seus gastos, por mínimos que sejam, ajudam a identificar onde você está consumindo mais e se precisa dar uma segurada.

Fique atento também ao cartão de crédito! Por mais que ele ofereça a opção de parcelamento, em alguns casos sem juros, não se esqueça que a conta chega, e não ter o dinheiro para pagar acrescenta juros e pode te colocar na lista de inadimplentes. Use-o apenas em casos de emergência.

Procure sempre comparar preços, ficar de olho se as lojas não oferecem descontos ou cashback, e refletir se aquele novo celular que acabou de lançar é mesmo necessário no momento.

Monte uma reserva de emergência

O cano da pia estourou? A geladeira queimou? Você ficou doente? De repente perdeu o emprego? A reserva de emergência serve para cobrir esses gastos emergenciais em casos de imprevistos – como o próprio nome indica.

É aqui que você pode destinar aquela porcentagem de reserva financeira falada nos tópicos anteriores.

Ela deve ser guardada em um local seguro e que pode ser retirada a qualquer momento, como em uma poupança, no Tesouro Direto ou CDB com liquidez diária. Afinal, nunca sabemos quando um problema pode aparecer.

O valor ideal para guardar é o resultado da multiplicação da sua renda mensal por um determinado número de meses, geralmente entre 6 a 12 vezes – que é o período no qual você conseguiria manter o padrão de vida atual apenas com a reserva, sem atrasar as contas.

Importância e benefícios de organizar as finanças

Saber organizar o que entra e sai da sua conta vai te ajudar a viver sozinho, a cuidar e manter a organização da casa.

Saber controlar e gastar o dinheiro da forma adequada também te livra dos imprevistos, de sempre precisar pedir dinheiro emprestado ou recorrer aos cartões de crédito, acumulando dívidas e passando perrengues.

Já os benefícios são inúmeros:

  • Você entende como está sua situação financeira e seus hábitos de consumo;
  • Conhece os gastos que mais impactam sua renda;
  • Consegue controlar melhor o que consome e poupar mais dinheiro;
  • Equilibra suas responsabilidades domésticas e seus momentos de lazer;
  • Toma melhores decisões financeiras;
  • Se previne de imprevistos e situações de emergência.

Com essas dicas você conseguirá iniciar sua organização financeira da casa sem complicações.

Lembre-se de continuar estudando para aprender mais sobre como cuidar do seu dinheiro e do seu lar. Por exemplo, sabendo como decorar um apartamento pequeno para deixá-lo com a sua cara e ainda gastando pouco.

Deixe um comentário